lsd

The Industry: limites da ópera em LSD

The Industry: limites da ópera em LSD

A companhia artística americana The Industry, com sede na Califórnia, tem como proposta não apenas difundir a ópera contemporânea, mas alargar as propostas estéticas gênero, seja com novos formatos de montagens ou abordagens temáticas.

Um dos projetos do grupo apresentar óperas já finalizadas, mas em fase de pré-montagem. Os workshops são chamados First Take. Neste mês de fevereiro, ocorre mais uma edição com seis novos títulos.

Entre eles, destaca-se LSD: The opera, com música da compositora Anne LeBaron, libreto de Gerd Stern, Ed Rosenfeld e a própria autora.

la-et-cm-critics-pick-anne-lebaron-portait-con-001

Anne LeBaron, compositora

Segundo LeBaron, a ópera apesenta um "questionamento multidisciplinar" sobre a droga descoberta em 1943, reunindo aspectos históricos, artísticos e políticos.

Veja uma entrevista de 4 minutos, em inglês, com a compositora. Ela detalha os desafios da composição e o uso dos instrumentos microtonais inventados por Harry Partch para representar musicalmente a experiência do uso do LSD.

O objetivo de Anne LeBaron é estrear a ópera oficialmente na temporada 2017-1028, marcar os 75 anos de descoberta do LSD.