john-blanch

Brasileiro documenta Concurso Tchaikovsky em video

Brasileiro documenta Concurso Tchaikovsky em video

O pianista clássico brasileiro John Blanch, também documentarista, está fazendo reportagens em video para o Concurso Internacional Tchaikovsky da Rússia a convite do canal on-line MediciTV.

john blanch

John Blanch

Os videos produzidos por Blanch na cobertura das provas de violoncelo são mini-documentários com cerca de três minutos de duração. O material é em inglês, com legendas em russo.

Blanch nunca aparece, está sempre por trás das câmeras. Veja um exemplo:

Acessando o canal do músico no Vimeo você tem acesso aos demais episódios.

John Blanch, 22 anos, nasceu em São Paulo, onde começou seus estudos de piano. Formou-se no Conservatório Nacional de Paris, na classe de Brigitte Engerer, Itamar Golan e Michel Dalberto.

Desde a adolescência o paulista produz videos caseiros. Em 2010, já na França, criou a série Diário do pianista, em que documentava seu cotidiano de estudante em Paris e seus concertos.

Recentemente, abriu a produtora JBlanch Productions, pela qual está produzindo o material do Concurso Tchaikovsky e também desenvolve webséries e documentários.

John Blanch é filho do produtor e apresentador de TV Otávio Mesquita, o que talvez justifique sua exposição precoce à produção profissional em video e a familiaridade com a linguagem audio-visual.

O paulista foi um dos quatro repórteres escalados pela MediciTV para documentar diariamente as provas de violoncelo da competição, que também tem seções de piano, violino e voz.

Os demais reporteres convidados pela MediciTV a documentar o dia-a-dia do concurso foram Tim Burgess, Olga Korotkaya e Sebastian Leitner.

Todas as etapas do Concurso Tchaikovsky são transmitidas na forma de webcasting pela internet. As provas finais serão amanhã, 1 de julho.  Os recitais dos vencedores de todas as categorias ocorrem dias 2 e 3 de julho.

 

radiohead_fotor_collage

Brahms e Radiohead em mash-up orquestral

Brahms e Radiohead em mash-up orquestral

Duas obras referenciais do repertório musical mundial - cada qual cabendo a gênero e período histórico distintos - combinadas em um mesmo arranjo orquestral:  a Sinfonia N.1, de Brahms, estreada em 1882, e o álbum OK Computer da banda Radiohead, lançado em 1997.

Quem teve a ideia do inusitado mash-up foi o regente, compositor e produtor americano Steve Hackman. Todos os quatro movimentos da sinfonia de Brahms e as oito músicas do CD de rock fazem parte do arranjo de Hackman.

A obra estreou em 2013 e, como atualmente o músico é diretor criativo da série Fuse da Orquestra Sinfônica de Pittsburgh, será apresentada esta semana pelo grupo americano.

“Foi um processo de análise, descoberta, desconstrução, reconstrução e recriação que me levou a buscar uma síntese entre a primeira sinfonia e o OK Computer", conta Hackman. "Melodias do Radiohead foram alteradas para coexistir com as harmonias de Brahms. Os motivos musicais de um estão entrelaçados com os do outro”.

Confira aqui uma gravação completa do mash-up Brahms x Radiohead.

O concerto está sendo promovido no Instagram do criador, com fotos de um stencil do evento aplicado em variados contextos:

insta 2

 

insta 1

A série Fuse apresentará em outubro um concerto com outro arranjo semelhante de Hackman, desta vez mesclando Beethoven com Coldplay.

Antes de se associar à Sinfônica de Pittsburgh, Steve Hackman trabalhou com a Orquestra do Festival de Colorado e também co-dirigiu a série "Happy Hour" da Sinfônica de Indianápolis. Sua produtora se chama Stereo Hideout.

steve hackman

Steve Hackman, regente e compositor

Clique aqui para ouvir o Boletim VivaMúsica! na Rádio CBN dedicado a este mesmo tema.