miolo

Os projetos inovadores do suíço Etienne Abelin

Os projetos inovadores do suíço Etienne Abelin

Etienne Abelin, 43 anos, é um violinista clássico, regente, curador, produtor cultural e professor de música suíço. Ele dedica grande parte de sua carreira a construir pontes entre a tradição musical clássica e as plateias jovens da atualidade.

Entre os projetos inovadores está o bachSpace, um espetáculo ao vivo com repertório de câmara do compositor do período barroco Johann Sebastian Bach e música eletrônica.

Atuam no projeto, além de Etienne, a pianista Tamar Halperin e o compositor Tomek Kolczynski.

Ouça a íntegra da música deste video de apresentação que foi mostrada na Rádio CBN. A obra utiliza a "Sonata para violino e piano N.6”, de Bach.

 

Etienne Abelin esteve recentemente no Brasil, participando do Festival Rc4 no Rio de Janeiro. Ele mostrou ao público carioca seu projeto com o software Music Animation Machine, criado por Stephen Malinowski, que representa graficamente em telão a música sendo tocada ao vivo no palco.

O suíço fez um MBA Executivo em Negócios na Universidade de St Gaalen e criou uma startup chamada ClassYcal, que desenvolve projetos de música clássica que dialoguem com referências culturais da geração Y.

Ele também é co-curador do Festival Apples & Olives que só traz artistas da chamada cena indie classical, termo que reúne o segmento de músicos que tem formação nos clássicos mas prefere se expressar artisticamente na cena pop.

Etienne Abelin é ainda professor do El Sistema Europa, a rede europeia que replica a metodologia do projeto El Sistema da Venezuela, de formação de orquestras jovens.

No curriculo de Etienne como músico de orquestra consta a participação na Orquestra do Festival de Lucerna e a passagem pela Orquestra Mozart de Bologna, ambos grupos fundados e dirigidos pelo lendário e já falecido maestro Claudio Abbado.

Um dos primeiros projetos inusitados que criou foi em 2008, chamado Ritmo e Futebol. Uma partida de futebol ao vivo no telão e 22 músicos em uma orquestra  acompanhando ao vivo a transmissão.

Ouça aqui o Boletim VivaMúsica! na Rádio CBN que destacou o trabalho de Etienne Abelin.

blog-post-3

Nova cena londrina vira livro

Nova cena londrina vira livro

Em todo o mundo, o circuito tradicional dos concertos busca formas para alcançar as plateias mais jovens.

Pois em Londres um grupo de compositores e intérpretes decidiu arregaçar as mangas e construir uma nova cena que dialogasse com hábitos contemporâneos.

O processo foi lento e gradual, ao longo da última década e meia. Passado o tempo e somadas todas as iniciativas, a capital da Inglaterra efetivamente oferece um ecossistema próprio.

Há múltiplas iniciativas visando atrair a juventude musicalmente curiosa que não se interessa pela oferta tradicional de música clássica ao vivo.

Acaba de ser lançado “We break strings” (“Nós rompemos cordas”, em tradução livre) livro que registra este Zeitgeist inglês com fotos, entrevistas e artigos sobre a nova cena clássica da cidade. As fotos são de Dimitri Djuric. A edição de texto ficou a cargo do jornalista Thom Andrewes.

 

we break

Todas as fotos do livro são em preto e branco

 

O subtítulo “The alt-classical scene in London” (“A cena clássica alternativa de Londres") indica que já foi criado um novo termo para categorizar a “nova cena” londrina: alt-classical.

O mesmo tipo de cena e de sonoridade costuma ser identificada internacionalmente como “indie classical” (“clássico independente”), termo que faz mais sentido em inglês do que em português.

Quem está a frente do projeto é o compositor e DJ Gabriel Prokofiev, um dos nomes que ajudou a construir o ecossistema retratado no livro por meio de sua produtora musical Nonclassical, que lança gravações e organiza noitadas em casas noturnas.

 

gabprok

Gabriel Prokofiev

 

O livro foi financiado por meio de crowdfunding no site Kickstarter. Aqui em VIvaMúsica!, participamos desse movimento colaborativo, doando 20 libras para sua realização.

O lançamento de “We break strings” está sendo realizado hoje em Londres, na Red Gallery de Hackney.

Um painel para discutir a nova cena clássica londrina reuniu, além de Prokofiev e Andrewes, o jornalista Paul Morley; o diretor do London Contemporary Music Festival, Igor Toronyi-Lalic; a cantora Kerry Andrew (Juice Vocal Ensemble) e a fundadora do projeto Multi-Story Orchestra, Kate Whitley.

Ouça aqui nosso boletim da Rádio CBN que falou do livro.